Projeto para surdos reúne atletas de vôlei

Tamanho do texto

Projeto para surdos reúne atletas de vôlei

A Clínica de Voleibol para Surdos terá nova edição no segundo semestre desse ano

O encerramento da Clínica de Voleibol para Surdos 1, aconteceu no último fim de semana (29 e 30 de abril), no Instituto Santa Teresinha, IST, Escola Bilíngue de Surdos.
A Clínica é um projeto idealizado por Xandó (ex-jogador de Vôlei da Seleção Brasileira da década de 80), coordenador e treinador da seleção brasileira de Voleibol de Surdos.
O objetivo do evento é fazer do esporte uma ferramenta para a inclusão e um meio de encontrar novos atletas. Xandó explica como funciona o projeto, “Esse é o primeiro ciclo da clínica e acreditamos que o voleibol precisa ser massificado entre os surdos, vimos uma oportunidade de trazer mais pessoas que agregassem no esporte e que possivelmente pudessem participar da seleção. Mas, percebi que a nossa função era mais social do que de caça talentos. Hoje, faço um trabalho de formiguinha com essa molecada que desse modo continuem a praticar um esporte e que no futuro eles se tornem um espelho para os próximos alunos da clínica”.
A Presidente do Instituto, Irmã Neoli Bierhalz, em discurso iniciou os treinamentos e maratonas de jogos, “Prezamos o incentivo ao esporte e é importantíssimo para os nossos alunos estarem rodeados de pessoas tão talentosas”.
O evento contou com a presença de atletas, alunos do IST, familiares e fãs de Xandó.
Na Clínica as equipes profissionais (masculina e feminina) de voleibol passaram por uma seletiva com os treinadores e auxiliares para decidir a escalação da Surdolimpíadas deste ano que será na Turquia.
Divididos em grupos: feminino e masculino, todos os participantes (atletas, alunos e convidados) tiveram um treinamento puxado e rígido. Após jogaram uma partida.
Geise Vieira, atleta brasileira de Badminton e estudante do IST, participou dos jogos e conta que seu negócio é a raquete mesmo, “Gostei de jogar vôlei, é bom para brincar e se divertir. Mas, doeu muito a minha mão, por isso vou continuar no badminton, risos”.
Já o treinador da equipe feminina de vôlei para surdos, Ruben Gutierrez, mais conhecido como Rubinho, foi convidado por Xandó e entrou de cabeça no projeto. Trouxe junto à proposta de integrar atletas ouvintes para treinar com jogadoras surdas, “Fazemos essa interação do ouvinte com o surdo, para o ouvinte entender as dificuldades de estar do outro lado e o surdo ter uma relação em um ambiente diferente. Eu que já fui atleta e sou técnico de base de diversos clubes de São Paulo, senti que tinha que passar um pouco da minha experiência e aceitei esse desafio”.
No último dia a atleta Natalia Martins, eleita a melhor jogadora de vôlei do Pan-Americano de ouvintes, foi ao IST conferir os jogos e afirmou: “Meu sonho é participar da Surdolímpiada junto das meninas”.
Foi um fim de semana de muito aprendizado e diversão para todos os envolvidos. A aceitação de projetos como esse transforma o esporte em uma forma de inclusão.
O Instituto Santa Teresinha, agradece aos técnicos: Mario Xandó e Rubinho Gutierrez. Aos atletas da seleção brasileira de vôlei de surdos, aos convidados e a toda equipe envolvida na Clínica de Voleibol para surdos.

Obrigado pela presença de todos!

Clique aqui para visualizar o álbum completo.